Arquivo

Posts Tagged ‘carros mercedes’

Conheça um pouco da história da Mercedes Benz que comemora este ano 125 anos

fevereiro 7, 2011 Deixe um comentário

Não parece, mas os primeiros carros com motores a combustão interna surgiram há apenas 125 anos – meu tataravô provavelmente não viu nem ouviu um veículo desses em movimento.

O automóvel nasceu na Alemanha, precisamente em 29 de janeiro de 1886. Nesta data, o engenheiro local Karl Friedrich Benz registrou seu triciclo motorizado num escritório de patentes na capital Berlim. ( veja foto acima)  O veículo, que parecia a boleia de uma carruagem, usava um motor a gasolina de apenas um cilindro, com menos de 1 cv de potência e capaz de levar o modelo à máxima de 16 km/h.

No mesmo ano (1886), uma dupla de engenheiros que cruzaria o destino de Carl Benz – isso mesmo, a grafia do primeiro nome trocou o “K” pelo “C” – criou a primeira motocicleta da história da raça humana. A invenção de Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach foi uma espécie de laboratório para a criação seguinte, que mudou de vez a história do automóvel. Em 1889, os amigos (e sócios) apresentaram o primeiro carro de passeio sobre quatro rodas. O modelo ainda exibia a carroceria inspirada nas carruagens, assim como o triciclo de Carl Benz, que se tornaria o primeiro automóvel de produção, montado entre 1888 e 1893 pela Benz & Cia – fundada em 1871.

Nos anos seguintes, Carl aprimorou o pequeno motor de um litro do triciclo (Benz Patent-Motorwagen). O novo modelo, chamado de Victoria, oferecia 3 cv de potência e atingia máxima de quase 18 km/h. Enquanto isso, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach se especializavam na produção de motores a gasolina e, em 1890, criaram a DMG (Daimler-Motoren-Gesellschaft). Curiosamente, Carl Benz não conhecia a dupla Daimler e Maybach. No início, a DMG produzia apenas motores. Já a Benz & Cia via o volume de pedidos de carros crescer ano após ano. Até que, em 1894, Carl apresentou seu modelo de quatro rodas, considerado o primeiro automóvel de produção em massa: o Velo.

Entre 1894 e 1901, a Benz & Cia produziu 1.200 unidades do Benz Velo – que, no ano do seu lançamento, participou do rali Paris-Rouen, prova considerada a primeira corrida de carros da história, realizada em 22 de julho de 1894. Enquanto isso, Gottlieb e Wilhelm elaboravam seu veículo de produção, lançado em fevereiro de 1900: o Mercedes 35 hp. O primeiro nome foi um pedido de Emil Jellinek, magnata alemão que prometeu comprar 36 unidades se o DMG fosse chamado pelo nome de sua filha, Mercedes Jellinek. Dito e feito. Emil Jellinek praticamente financiou o início da produção do Mercedes 35 hp, considerado o primeiro carro de concepção moderna (com chassi).

O destino, no entanto, mudaria o rumo da DMG naquele mesmo ano (1900), com a morte de Gotttlieb Daimler. Sem seu parceiro, Wilhelm Maybach assumiu como diretor da montadora, mas deixou o cargo em 1907. Dois anos depois (1909), o Wilhelm e seu filho Karl fundaram a Maybach-Motorenbau GmbH, uma fábrica de motores para dirigíveis (Zeppelin). Nesse período, Maybach e Carl Benz não eram íntimos, mas a Benz & Cia e a DMG eram arquirrivais – nada menos que as duas maiores fabricantes de carros da Alemanha. As empresas também participavam ativamente das competições de automobilismo, já vistas na época como vitrine para os novos motores.

A essa altura, Carl Benz já estava aposentado da Benz & Cia (desde 1903). Mas seu nome constava no corpo de administradores da empresa. E lá permaneceu após a fusão com a DMG, em 1924. Dessa união se originou a Daimler-Benz, criada por força do destino: com a Alemanha devastada pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as fábricas assinaram um acordo de cooperação para estimular a economia do País. Assim, em 1926, surgia a Mercedes-Benz. A estrela de três pontas, até hoje símbolo da marca, foi desenhada por Gottlieb Daimler – para os carros da DMG. E o anel com a coroa de folhas veio do escudo criado por Carl Benz, para os carros da Benz & Cia.

O acordo que criou a Daimler-Benz AG (o mesmo que SA ou Sociedade Anônima) exigia a união das empresas até o ano de 2000. Mas antes disso, em 1998, o grupo alemão comprou a norte-americana Chrysler – juntamente com as divisões Dodge e Jeep –, formando a Daimler Chrysler AG. A separação veio em 2007. Após sucessivas quedas nas vendas, a Daimler vendeu a Chrysler e passou a se chamar apenas Daimler AG, preservando a identidade das marcas. Atualmente, o conglomerado reúne divisões de automóveis e veículos comerciais leves e pesados. Entre os automóveis estão as marcas Mercedes-Benz, Smart e a luxuosa (e nostálgica) Maybach.

Nesses 125 anos de existência, a Mercedes-Benz acumulou mais de 80 mil pedidos de registro de patentes. Diversos modelos da fábrica, em diferentes épocas, apresentaram alguma revolução na indústria. Em 1898, por exemplo, a DMG lançava o Daimler 8 hp Phaeton, primeiro carro equipado com motor de quatro cilindros. Já em 1936, após a fusão das fábricas, foi apresentado o Mercedes-Benz 260 D, primeiro automóvel movido por um motor a diesel. E em 1954, surgia o lendário esportivo 300 SL, chamado de “Gullwing” (“Asa de Gaivota”), em referência às portas que se abriam para cima. O esportivo, considerado o mais veloz de sua época, foi o primeiro a ter um motor a gasolina de quatro cilindros com sistema injeção direta de combustível.

Mercedes F800 Style - o futuro próximo da Mercedes

Siga o Blog Contagiros no:

Mercedes lança modelo cupê CLS 63 AMG e promete novidades em 2011

fevereiro 1, 2011 Deixe um comentário

Modelo Mercedes C180 CGI, um dos destaques de vendas no país

A Mercedes Benz prepara um pacote de lançamentos para 2011. Depois de vender 8 mil veículos em 2010, a marca alemã tem a meta de comercializar 10 mil unidades até dezembro. O objetivo é ambicioso para o mercado de modelos de luxo, que consumiu cerca de 18 mil veículos no ano passado. A briga vai ser boa com a BMW e a Audi, que já estão de olho no automento da procura por carros do segmento.

Foi um recorde desde o início de atividades no País, com avanço de 40,3% em relação a 2009. Segundo a empresa, que oferece 20 modelos e 50 versões no segmento de alto luxo, suas vendas de automóveis têm aumentado, em média, 40% ao ano.

“Acertamos no lançamento de modelos de maior volume, como o B 180 e C 180 CGI, e em segmentos mais específicos, como as Classes S, SL, e SLK”, assinala Dimitris Psillakis, diretor de vendas e pós-vendas de automóveis da Mercedes-Benz do Brasil.

A empresa registou também a comercialização de 1.465 unidades do smart, com uma evolução de 39% em relação a 2009.

O primeiro da lista de 2011 a ser lançado foi da  Mercedes-Benz foi o novo cupê CLS 63 AMG no Top Night, apresentado durante evento promovido pela montadora na última semana para reforçar a associação da marca ao universo fashion e do luxo.

O modelo foi apresentado durante o evento na Casa Fasano, um dos espaços mais luxuosos da cidade. Na noite foram expostas as imagens produzidas pelo fotógrafo de moda Luiz Tripolli com o tema ‘espelhos’. O ensaio mostra o cupê da Mercedes-Benz e diversas personalidades como a atriz Mayana Moura e o estilista Pedro Lourenço.

O esportivo, que custa US$ 260 mil, é o primeiro de outros cinco carros premium que a companhia trará ao Brasil este ano. Ele ainda vêm equipado com motor V8 bi turbo com injeção direta de combustível e 557 cv de potência.

Entre os possíveis modelos e novidades, a marca deve apresentar os novos Classe A/B, Classe G e o compacto BLK.

Siga o Blog Contagiros no:

Galeria de fotos da Nova Mercedes Benz CL63 AMG

dezembro 21, 2010 Deixe um comentário

A Mercedes Benz divulgou ontem,. segunda feira mais imagens do novo modelo da Linha AMG.

Trata-se do Novo CL 63 AMG Biturbo, equipado com motor de apenas 5,5 litros, potência máxima de 536 cv e torque de 81,57 kgfm, mas também pode receber o kit opcional AMG Performance Package, o qual eleva a potência máxima para 570 cavalos e o torque para ignorantes 91,8 kgfm.

Veja um vídeo com várias imagens do modelo de luxo da Mercedes:

Segundo a marca, o Mercedes-Benz CL63 AMG acelera de zero a 96 km/h em 4,4 segundos e atinge uma velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. Com o pacote AMG Performance, o cupê de alta performance atinge a marca de 96 km/h em 4,3 segundos e atinge velocidade máxima de 300 km/h, também limitada eletronicamente.

Na Europa entendemos porque alguém andaria tão rápido, mas por aqui seria suicídio…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Siga o Blog Contagiros no:

Novas imagens da Mercedes Benz CLS foram extraídas de catálogo oficial

A algum tempo circulam possíveis imagens do modelo CLS da Mercedes, incluindo fotos tiradas dentro do Museu da marca na Alemanha a poucas semanas, cuja foto segue logo abaixo. Desta vez imagens foram obtidas em um catálogo oficial digitalizado, foram publicadas pelo pessoal do blog Mercedes-Benz Passion e com certeza vão refletir o que será lançado efetivamente no mercado.

Foto tirada a poucas semanas do CLS 2011 no Museu da Mercedes e exibida no site Notícias Automotivas

Até o nosso blog tinha postado imagens de testes do modelo CLS 2011 em maio deste ano na Europa.

O novo CLS 2011 conta um desenho lateral “musculoso”, realçado pelo desenho do para-lamas traseiro mais generoso que avança sobre as portas. Os vincos marcantes nas laterais também são marcantes e realçam esta impressão.

Os faróis agora possuem novo formato e desenho futurista na iluminação através de LED.

Mesmo com muitos cromados, o CLS 2011 parece que emagreceu em relação ao modelo anterior, talvez devido ao desenho melhorado da carroceria.

Com linhas mais leves, o CLS 2011 passa a impressão de maior esportividade e desempenho.

Lembramos que seu lançamento oficial deve ocorrer durante o Salão de Paris 2010.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

Primeiro carro importado híbrido para o Brasil será a Mercedes S 400 Hybrid

julho 6, 2010 1 comentário


A Mercedes-Benz abre a fila na importação de veículos e carros híbridos para o mercado nacional. O S 400 Hybrid, lançado na Europa em 2009, é produzido em série e equipado com baterias de lítio. Oferecido sob encomenda, ele custará aqui US$ 253,5 mil, um valor à altura do pioneirismo do projeto e do luxo incorporado.

Baseado na versão S 350, o híbrido traz um powertrain com um propulsor V6 e um motor adicional magnetoelétrico. A transmissão automática 7G-Tronic, de sete velocidades, tem configuração específica para o módulo híbrido.

O módulo híbrido compacto é um motor elétrico em formato de disco que também atua como um motor de partida e gerador/alternador. O fabricante assegura que o sistema oferece o benefício duplo de economizar combustível e aumentar o prazer de dirigir, já que o motor elétrico dá suporte contundente ao motor a gasolina, entregando 160 Nm de torque adicional durante as acelerações.

O módulo híbrido traz a função start/stop, que desliga o motor quando o veículo está freando, abaixo de 8 km/h, como em semáforos. Quando é hora de arrancar novamente, o motor elétrico reinicia quase que imperceptivelmente o funcionamento do motor a gasolina.

Outra inovação importante aparece nas diminuições de velocidade, tanto com a aplicação do freio bem como do freio-motor. Nessa situação o motor elétrico age como um gerador para recuperar a energia cinética, armazenada na bateria de íons de lítio.

A bateria de íons de lítio armazena energia para o motor elétrico e fica conectada a uma rede onboard de 12 volts para fornecer energia a faróis e dispositivos de conforto. O motor elétrico compacto, instalado na flange entre o motor e a transmissão, possui rotor externo de 3 fases, que desenvolve um pico de potência de 15 kW/20 cv e torque de 160 Nm, com voltagem de 120 Volts.

O fabricante declara que o S 400 Hybrid acelera de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atinge a velocidade máxima (eletronicamente controlada) de 250 km/h. Comparado ao modelo que lhe serviu de origem, o S 350, o modelo híbrido da Mercedes-Benz apresenta consumo médio, segundo as normas europeias, 19% inferior. As emissões de CO2 são reduzidas em cerca de 21%.

O S 400 BlueHybrid é produzido na unidade de Sindelfingen, juntamente com os outros modelos S-Class.

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

Mercedes CLC 200 deixará de ser fabricada no Brasil para dar lugar a Utilitários

CLC 200 Simpática, mas um pouco caro, elegante... mas vai deixar de ser fabricado por aqui em breve

Mercedes-Benz CLC 200 feito na fábrica da marca em Juiz de Fora (MG) está prestes a deixar de ser fabricado. A fabricante confirma que a nova geração do Classe C Coupé será feita em Bremen (Alemanha). A notícia chega logo depois do anúncio de que a unidade de produção mineira vai começar a fazer novos utilitários.

Portanto, o CLC logo deixará de ser produzido no Brasil. E o novo cupê será apresentado como integrante da nova família da Classe C, que terá o tradicional sedã e a perua, além de uma versão crossover, todos feitos na Alemanha como linha 2014. Durou pouco… pois ele começou a ser produzido por aqui a exatos 365 dias e já vai parar.

A fábrica em Bremen será uma das principais da Mercedes-Benz, por também concentrar a produção de toda linha da Classe E e os roadsters SL e SLK. Terá cerca de 12.600 funcionários e vai se destacar pela flexibilidade na produção dos vários modelos que sairão da linha de montagem.

FICHA TÉCNICA – Mercedes-Benz CLC 200 Kompressor

MOTOR Quatro tempo, quatro cilindros em linha, longitudinal, refrigeração a água, quatro válvulas por cilindro, com compressor mecânico, movido a gasolina, 1.796 cm³
POTÊNCIA 184 cv a 5.500 rpm
TORQUE 250 Nm de 2.800 rpm a 5.000 rpm
CÂMBIO Automático de cinco velocidades
TRAÇÃO Traseira
DIREÇÃO Por pinhão e cremalheira; hidráulica
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 17”, de liga-leve
PNEUS Dianteiros 225/45 R17 e traseiros 245/40 R17
COMPRIMENTO 4,45 m
ALTURA 1,41 m
LARGURA 1,73 m
ENTREEIXOS 2,72 m
PORTA-MALAS 310 l
PESO (em ordem de marcha) 1.480 kg
TANQUE 62 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, tipo McPherson; traseira independente, multilink
FREIOS Discos ventilados nas rodas dianteiras e sólidos nas traseiras com ABS, ASR, Brake Assist e ESP
PREÇO R$ 124,9 mil
%d blogueiros gostam disto: