Arquivo

Archive for the ‘Salão Duas Rodas 2011’ Category

Motos bizarras também podem ser vistas no Salão Duas Rodas

 

Ontem a Globo mostrou como foi a abertura do Salão Duas Rodas 2011. Na verdade ela poderia ter mostrado inúmeros motos que seriam as motos dos sonhos para muitos, objetos do desejo almejados num futuro distante. Mas curiosamente a matéria foi aberta com uma digamos, moto genuinamente nacional.

Como a chamada da matéria mostra, ela foi além dos lançamentos de motos. Alguns expositores levaram atrações inusitadas ao evento, e uma delas que chamou muita a atenção foi o caso de uma “moto-caixão”. Na verdade, trata-se de um triciclo que carrega um caixão em sua traseira, “obra” do empresário Alexandre Marzola, de 42 anos. “Sou aficionado por caveiras e também por triciclos. Foram 9 meses para finalizar o projeto”, explica.

Um pouco mais sobre a exclusiva Moto Caixão!

Os comandos da “moto-caixão” são como os de um carro, com pedais de freio e embreagem. Para impulsionar o conjunto, o triciclo utiliza o motor 2.0 litros de um Volkswagen Santana, que ele diz ter 150 cv.

O caixão, em si, é apenas uma alegoria, afirma Marzola, “para chamar a atenção”. Dentro ele, o motociclista de São Paulo leva um “esqueleto” vestido de noiva, com um buquê e um cigarro na boca. É uma espécie de arte para a qual ele até deu um título: “À espera do homem perfeito”.

De acordo com seu dono, o triciclo alcança velocidade máxima de 180 km/h. “Mas é preciso tomar cuidado, pois é um pouco instável”, explica Marzola. A criação inusitada ainda conta outro esqueleto em sua dianteira.

O veículo instalado entre estandes do Anhembi chamou a atenção dos primeiros visitantes do salão, que segue até o próximo domingo (9). “Além de bem feito, é muito criativo”, disse o empresário Adílson Donizete, que aproveitou para conferir a máquina enquanto visita o salão. “Se você que algo que chama atenção, então ande neste triciclo”, comenta outro visitante, o empresário Milton Santos.

Novidades do 11º Salão Duas Rodas incluem BMW de 1200 cc e até Motocars para transporte de passageiros e entregas

setembro 30, 2011 Deixe um comentário

Começa na próxima semana, na terça o 11º Salão Duas Rodas, no pavilhão de exposições do Anhembi. O  evento é o maior do País no segmento de motos e deve ter 250 visitantes. Se o clima ajudar, é possível que supere essa expectativa, já que haverá várias atrações na área externa.

A edição anterior, de 2009, atraiu 246.306 pessoas.

Estarão lá este ano 445 expositores. O evento não é apenas uma vitrine para motos, já que reúne fabricantes e importadores de tudo o que se relaciona ao setor, como capacetes, roupas, bauletos, acessórios e motopeças. Uma área de 2% a 5% do evento abrigará bicicletas e itens desse segmento.

A Agressiva R 1200 R da BMW no estilo naked que mostra o puro veneno das altas cilindradas

No caso das motos BMW, o destaque vai ficar para o modelo R 1200 R Classic. Com estilo naked, quer dizer, nua, sem carenagem, ela é equipada com o tradicional motor boxer da marca, com 110 cv de potência. A moto tem como item opcional suspensões com ajuste eletrônico, que garantem conforto de rodagem, especialmente em estrada.

Seu preço sugerido deve ficar entre R$ 55 mil e R$ 60 mil. A marca dá pistas de que haverá outras novidades além dessa. Também é provável que a BMW anuncie a montagem local de mais modelos. Atualmente, três motos são nacionalizadas na fábrica da Dafra, em Manaus: a G 650 GS, a F 800 R e a F 800 GS.

Dafra mostra a Apache RTR 150 (Racing Throttle Response)

Dos pavilhões estrangeiros se destacam os da China e Taiwan, Espanha, Paquistão e Índia. Entre os expositores indianos estarão os representantes da Hero Motocorp, que traz sete modelos de moto em busca de representantes. A Hero certamente vem atraída pelo sucesso que a moto Apache 150 ( foto logo acima) vem fazendo aqui no Brasil. O modelo é montado aqui com peças da indiana TVS e é hoje a moto mais vendida pela Dafra.

Além do festival de motos de alta cilindrada e sofisticada, podemos destacar também os triciclos Motocar, semelhantes aos tuk-tuks indianos. O modelo de passageiros, MTX 150, (foto logo abaixo) o mais acessível, R$ 8.950. A versão de carga tem opção de caçamba aberta (MTA 150, acima) ou fechada, com baú de poliuretano (MTF 150). Para estas, o preço sugerido é de R$ 11,5 mil.

A fábrica dos triciclos está instalada em Manaus e tem atualmente oito pontos de venda, seis no Amazonas e dois no Pará. A vinda ao Anhembi abre perspectivas: “A intenção é que sejam 70 revendas até julho do ano que vem”, afirma o diretor industrial da empresa, Júlio de Almeida. “A margem bruta do revendedor oscila entre 18% e 20%”, estima o empresário, que iniciou a produção dos triciclos em abril.

“Fazemos de 10 a 12 unidades por dia, metade para passageiros e metade para carga. A capacidade instalada é de 30 veículos por dia.” Segundo Almeida, a aceitação do modelo para passageiros está acima do esperado: “O uso mais frequente é no mototáxi, embora haja municípios que não permitam a utilização para esse fim”, diz o executivo.

O modelo carrega dois passageiros, além do condutor, o que dá uma boa vantagem sobre as motocicletas. “Atendemos a resolução 129 do Contran. O veículo tem freio de estacionamento, pisca-alerta, limpador de para-brisa e luz de ré”, ressalta Almeida.

A versão para carga transporta até 350 quilos ou 2.200 litros. Todos os modelos utilizam um motor semelhante àquele adotado na Honda CG 125 de 1977 até 2008 (com comando de válvulas no bloco e varetas), mas com a cilindrada aumentada para 150 cc. “Ele é montado por nós a partir de componentes nacionais e importados do Japão e da Ásia”, afirma. Os chassis também são montados em Manaus.

A versão de passageiros usa componentes trazidos… do Peru, quem diria! O escudo e parte da cabine são de metal. As laterais e o teto usam lona plástica, como as capotas de buggies, jipes e charretes. A versão de carga tem o escudo frontal importado da Ásia. A caçamba aberta é nacional e o baú fechado vem desmontado da Ásia.

Segundo o fabricante, a velocidade máxima é de 65 km/h. O tanque de gasolina comporta 13 litros. A Motocar informa consumo um tanto otimista, em média de 30 km/l (tem moto de 150 cc que não alcança essa marca levando apenas o piloto). Os Motocars exigem carteira de habilitação na categoria A, a mesma das motos. E, como estas, atende ao Promot 3, o programa que regula as emissões de veículos de duas rodas.
Fonte: Automotive Business

11ª edição do Salão Duas Rodas de 2011 começa dia 04 de Outubro em São Paulo

setembro 26, 2011 Deixe um comentário

Vista Geral do Salão Duas Rodas em 2009, estandes cheios e lançamentos movimentaram o setor na época

Os apaixonados por veículos duas rodas têm um encontro marcado na 11ª edição do Salão Duas Rodas (Feira Internacional de Motocicletas, Bicicletas, Peças, Equipamentos e Acessórios), de 4 a 9 de outubro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, o evento realiza verdadeiros espetáculos com motocicletas que enchem os olhos dos fãs e visitantes, podendo ver de perto e sentir a experiência sobre duas rodas através de simuladores, test-drives e inúmeras atrações.

Os mais de 250 mil visitantes esperados para o Salão Duas Rodas 2011 poderão assistir as apresentações de Moto Trial, onde o terreno é preparado com os mais diversos obstáculos para superação dos pilotos, e participar das atrações interativas: Cine Bike, Simulador de Giro 360º e Simulador Moto Trial. Os que curtem passeios menos radicais poderão fazer um test-drive com modelos de grandes marcas. Honda, Yamaha, Kasinski e Traxx são algumas das empresas que irão disponibilizar modelos para os visitantes pilotarem.

Mas aqueles que preferem somente admirar podem curtir a área externa do Anhembi (Sambódromo) que terá shows com equipes de pilotos profissionais. Dentre as atrações já confirmadas estão as equipes: Jorge Negretti Motocross Show, Cobras Motor Show e Força & Ação.   Os fãs poderão tirar fotos com seus ídolos e levar para casa um autógrafo de lembrança nos stands montados, como o point de autógrafos dos pilotos.

Todas essas atrações acontecem no evento e estão inclusas no ingresso do Salão Duas Rodas. A venda de ingressos antecipadas e com desconto estão disponíveis exclusivamente no site do evento (www.salaoduasrodas.com.br). Na bilheteria, ingressos serão vendidos durante os dias e horários de funcionamento do evento.

Arena Cross Dentre as atrações mais esperadas está a 4ª etapa do Arena Cross, campeonato que reúne as categorias Pró (450cc), MX2 (250cc), Júnior, 65cc e 50cc. Os treinos são realizados a partir das 13h e as provam terão início às 19h, nos dias 7 e 8 de outubro. A 13ª edição da competição terá pilotos do Brasil e do mundo juntos em uma emocionante disputa. Os ingressos para o Arena Cross são adquiridos separadamente. Vale lembrar que o campeonato será transmitido também via TV, web e rádio.

Harley Davidson, um dos destaques do evento

A Harley-Davidson do Brasil participa oficialmente pela primeira vez do Salão Duas Rodas, o principal evento do setor no País, com a apresentação de oito motocicletas novas no mercado brasileiro que farão parte da linha 2012, feito inédito para a marca e que mostra a importância do Brasil nos planos de expansão internacional da Harley-Davidson. Entre as novidades estão a Dyna® Switchback e a V-Rod® 10th Anniversary.

A principal característica da nova motocicleta Dyna® Switchback da Harley-Davidson® é a versatilidade. Com saddlebags rígidas da cor da moto e para-brisa montado no garfo, a Switchback é uma motocicleta Touring. Sem as saddlebags e o para-brisa, que podem ser removidos sem precisar de ferramentas, a Switchback se torna uma street cruiser com farol brilhante, rodas de alumínio de cinco raios e guidão estilo mini ape-hanger.

O modelo é equipado com o imponente motor Twin Cam 96™. A Switchback é a Touring mais leve na categoria acima de 1000cc, resultando em uma melhor ciclística, com maior facilidade para manobras. Nova geometria frontal, componentes de suspensão aperfeiçoados e pneu dianteiro de perfil baixo garantem à Switchback uma excelente resposta na pilotagem.

Projetada para ter um apelo visual com ou sem as saddlebags, o estilo da Switchback evoca uma aparência clássica e limpa com linhas retas que vão desde seu tanque de combustível de 17,8 litros até o para-lama traseiro. Para garantir conforto completo ao piloto, o modelo tem guidão estilo mini ape-hanger com raiser recuado, plataformas para apoio integral dos pés e assento estilo Touring de duas posições em peça única com perfil frontal mais estreito, proporcionando mais facilidade para alcançar o solo.

V-Rod® 10th Anniversary

A V-Rod® 10th Anniversary é um tributo a V-Rod® original que estará disponível apenas na linha 2012. Sua pintura prata perolizada, seguindo a mesma tonalidade de toda a estrutura, é exclusiva na linha V-Rod®. Cromado extra e superfícies polidas ressaltam a beleza do motor, escapamento e painel.

O modelo é equipado com a última versão do motor Revolution, com 1250cc distribuídos em dois cilindros em V, refrigeração líquida, DOHC, quatro válvulas por cilindro e Electronic Sequential Port Fuel Injection (ESPFI). O powertrain é composto com embreagem Assist and Slip, transmissão de cinco marchas e correia de fibra de carbono de alta performance. Os pneus são Michelin Scorcher, sendo o traseiro de 240 mm. No Brasil, os freios Brembo® de discos duplos frontais são equipados com o ABS de série. Este pacote, além dos freios com ABS, também inclui o H-D® Smart Security System, um sistema de segurança com alarme e sensor de proximidade hands-free.

Um pouco da História do Salão Duas Rodas

Há 20 anos, o primeiro evento dedicado exclusivamente ao setor de duas rodas era lançado em São Paulo. Pouco mais de 80 empresas participaram do evento que nascia com a missão de ser o pólo concentrador do mercado de duas rodas na América do Sul.
Ano após ano, o evento acompanhou o crescimento do mercado consumidor de motocicletas e bicicletas no Brasil, hoje um dos maiores consumidores de veículos de duas rodas no mundo. E o Salão acompanhou de perto essa evolução:

Nem só de motos vive um evento de duas rodas, lindas modelos também fazem parte da "decoração "dos estandes

O Evento – Veja mais fotos do último Salão duas rodas 2009 – clique aqui

Ativa toda a cadeia produtiva diretamente relacionada ao setor
• venda dos veículos, motopeças, bicipeças, acessórios, equipamentos, vestuário e serviços

Confraterniza todas as vertentes do setor de motocicletas
• Motovelocidade, Moto Cross, Moto Clubes, Wheeling, Moto Trial

É um ponto de encontro para:
• motos, bicicletas, triciclos, quadriciclos…
• associações, entidades do setor e órgãos governamentais
• expositores, empresários, pilotos, compradores e fornecedores
• revistas, jornais, televisão e rádio

Unifica exposição e demonstração
• exposição nos stands e áreas de shows com atividades interativas

Cria atrativos diversificados
• para fidelizar quem já utiliza veículos de duas rodas
• para conquistar novos consumidores

Imagem do Salão Duas Rodas de 1999

SALÃO DUAS RODAS – Feira Internacional de Motocicletas, Bicicletas, Peças, Equipamentos e Acessórios
Periodicidade: Bienal
Edição: 11ª Edição
Realização: 04 a 09 de outubro de 2011

Horário: 14h00 às 22h00 de 04 a 08 de Outubro e das  11h00 às 19h00 no dia 09 de outubro

Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – Avenida Olavo Fontoura, 1.209 – São Paulo – SP

Área Total de Exposição: 110.000 m²
Estimativa Expositores: 450
Estimativa Público: 250.000 visitantes
Entrada:
– Consumidor Final: Bilheteria – Entrada mediante compra de Ingressos;
– Profissionais do Setor: Entrada gratuita mediante a pré-credenciamento no site.

Os participantes podem tirar dúvidas através do site http://www.salaoduasrodas.com.br e do blog oficial do evento (http://blog.salaoduasrodas.com.br/). Acompanhe o Salão também nas principais redes sociais: confira a página no facebook (http://www.facebook.com/SalaoDuasRodas) e no twitter (@salao2rodas).

Dafra começa a montar a MV Agusta e comemora resultado de 250 mil motos produzidas

setembro 17, 2011 Deixe um comentário

Parece que os dias de descrédito podem ter acabado na Dafra. A marca superou a casa das 250 mil motos produzidas em Manaus. A empresa chegou ao seu primeiro quarto de milhão de unidades em pouco mais de três anos e meio. Como comparação, a Yamaha, primeira a montar motocicletas por aqui (em 1974), não alcançou o mesmo feito em seus primeiros dez anos no Brasil.

Em vez de celebrar números, o que a Dafra comemora mesmo é o início da produção amazonense (ainda em fase experimental) das motocicletas MV Agusta Brutale e o modelo F4 ( foto abaixo). Os modelos passam pelo que a indústria chama de try-out, ou seja, a montagem de unidades seguindo os processos de fabricação já implantados na linha, mas num ritmo ainda diferente da produção seriada. Essas motos ainda terão etapas a cumprir, como testes de rodagem em cidade e estrada, por exemplo.

As motos serão apresentadas no evento mais importante do setor, o Salão Duas Rodas 2011, que ocorre entre os dias 4 e 9 de outubro no Anhembi. As linhas de montagem estarão azeitadas e funcionando em novembro para que as motos cheguem às revendas no mês seguinte. A empresa não divulga quantos pontos de venda haverá em dezembro. É provável que sejam pelo menos três, dois em São Paulo e o outro no Rio de Janeiro ou Minas Gerais.

Como se trata de motos de alto desempenho e exclusivas, passarão da barreira dos R$ 50 mil. Em junho, quando a Dafra anunciou a parceria, o vice-presidente da MV Agusta, Massimo Bordi, afirmou que o Brasil poderá responder por 20% das vendas da italiana. Trinta dias depois, a empresa anunciou também sua entrada no maior mercado mundial de motocicletas, a China. A fabricante de veículos Lifan será a responsável pela distribuição dos modelos.

A Dafra e seu momento atual

Entre janeiro de 2008 e agosto de 2011 a Dafra montou 254.379 motos. A empresa faz parte do grupo Itavema. Na metade da década passada, a companhia viu em sua rede de concessionárias o potencial de mercado que as motocicletas tinham e também a possibilidade de lucrar montando em Manaus motos chinesas com baixo índice de nacionalização, modelo de negócios que a Sundown havia adotado com relativo sucesso.

Uma equipe do grupo foi à China e escolheu relativamente bem os primeiros modelos a ser montados no Brasil, todos de baixa cilindrada (entre 100 cc e 150 cc). Em seu primeiro ano, 2008, justamente o melhor ano para o setor de duas rodas, a Dafra produziu 119.377 unidades. No ano seguinte, a crise e a consequente dificuldade de aprovação de crediário para os motociclistas fez um estrago no setor e a produção da Dafra caiu para 59.500 unidades.

Naquele ano, porém, a Dafra já mexeu no mix de produtos (trouxe um novo scooter) e fechou parceria com a BMW para fazer algo que a marca alemã nunca tinha permitido antes: a montagem de uma de suas motocicletas fora da Europa. As boas vendas resultaram na nacionalização de mais dois modelos BMW, a F 800 GS e a F 800 R. O sucesso dessas brasileiras com sotaque alemão e o mercado promissor para motos de alta cilindrada no País pesaram na decisão da MV Agusta pela parceria.

A Dafra, contudo, não terá vida fácil pela frente. Embora já supere a Suzuki em participação de mercado e esteja hoje na terceira posição, a empresa é seguida de perto pela Kasinski, cuja produção neste ano está maior que a da Dafra.

Veja abaixo um vídeo da MV Agusta Brutale 910 em ação

 

%d blogueiros gostam disto: