Archive

Archive for the ‘Dicas de manutenção’ Category

Conheça Guia Ford Meu Primeiro Carro, aplicativo para ajudar motoristas na manutenção de seus veículos

dezembro 28, 2011 Deixe um comentário

A Ford mostrou ao mercado esta semana, um lançamento para ajudar motoristas no dia a dia. Explicamos: Trata-se de um aplicativo feito sob medida para motoristas e mostra informações como a data da próxima revisão do veículo, valores de taxas e impostos que devem ser pagos manter os documentos do automóvel em dia, entre outras funções.  Podemos destacar também as   dicas de segurança e manutenção, as principais leis de trânsito brasileiras e informações sobre IPVA, Licenciamento, DPVAT e Inspeção Veicular.

Ele está disponível para dispositivos com o sistema iOS da Apple (iPhone, iPad e iPod Touch), mas também têm uma versão online ( clique aqui ). Nele, os usuários têm recursos de lembrete de tarefas, como licenciamento e inspeção veicular, e também podem encontrar distribuidoras Ford selecionando uma das opções do aplicativo.

Foram feitas mais de  mil entrevistas entre setembro e outubro deste ano, que levantou as principais dúvidas dos motoristas brasileiros.

O estudo online da Ford, foi realizado nas páginas de fãs da empresa no Facebook, também revelou que, de forma geral, 7% afirmaram não ter nenhum conhecimento sobre carros além de dirigir e 34% disseram saber apenas o básico. Cerca de 8% declararam nunca ter feito  revisões em seus automóveis e apenas a metade dos motoristas faz revisões gerais periódicas. De acordo com a empresa, entre os 1.037 entrevistados 61% eram homens e 39% mulheres.

O aplicativo da Ford traz ao usuário dicas de segurança e manutanção, as principais leis de trânsito brasileiras e informações sobre IPVA, Licenciamento, DPVAT e Inspeção Veicular. Segundo a Ford, a pesquisa realizada pela empresa revelou que o Ford Ka é o primeiro carro de 40% dos proprietários do veículo, por isso, o lançamento do aplicativo acontece junto com a divulgação do modelo 2012 do automóvel.

Mais informações, você pode obter direto no site da App Store: http://itunes.apple.com/br/app/ford-meu-primeiro-carro/id484128144?mt=8

Acompanhe o ContaGiros nas Redes Sociais:

Mais um recall, desta vez é da BMW!

novembro 29, 2011 Deixe um comentário

Parece que vêm chegando o final de ano e a onde de recalls no mercado nacional voltou com força. Uma marca que a tempos não se via recall, apareceu. A BMW convoca os proprietários de 853 veículos da marca vendidos no Brasil, modelos 550i, 750i, 750Li Híbrida, 760Li, X5 xDrive50i, X5 xDrive50i Security, X5 M, X6 xDrive50i e X6 M, fabricados no período entre novembro de 2007 a fevereiro de 2011, para agendar a substituição da bomba de água suplementar do turbocompressor na rede de concessionárias.

De acordo com a empresa, existe a possibilidade de superaquecimento da placa de circuitos da bomba de água, que pode ocasionar o derretimento de seus conectores e, em casos extremos, princípio de incêndio no compartimento do motor.

Os chassis envolvidos são:

Modelo 550i Chassis: C268070 a C268828

Modelo 750i Chassis: C354527 a C354952 e CY31157 a CY32945

Modelo 750Li Híbrida Chassis:C399957 a C399999 e C628400 a C628485

Modelo 760Li Chassis:CY38188 a CY39006

Modelo X5 xDrive50i Chassis:L391713 a L392517 e LL58538 a LL58555

Modelo X5 xDrive50i Security Chassis: RA29500 a RA29540

Modelo X5 M Chassis: LK10397 a LK11645

Modelo X6 xDrive50i Chassis: L280003 a L286435 e LJ37222 a LJ38129

Modelo X6 M Chassis: LJ53978 a LJ54437 e LM11042 a LM12631

Mega recall da Honda começa ainda em Agosto, mas Brasil será pouco afetado

Modelos Honda Accord LX 2.4 ano-modelo 2005 automáticos deverão comparecer as concessionárias para o recall no Brasil

A Honda anunciou um dos maiores recalls de sua história e envolve nada menos que  2,26 milhões de veículos. A convocação envolve parte das linhas do Accord, do CR-V e do Element (este último não vendido aqui). Nos Estados Unidos, 1,5 milhão de unidades foram chamados. No Brasil, contudo, apenas 390 unidades fazem parte do recall.

Todas são do sedã Accord LX 2.4 ano-modelo 2005 com transmissão automática. Os proprietários devem comparecer a partir de 10 de agosto a qualquer concessionária Honda para reprogramar a unidade de controle eletrônico do veículo (ECU). Os veículos envolvidos no recall vão dos números de chassi 3HGCM56305G500001 a 3HGCM56305G500390.

A reprogramação é necessária pois, caso o condutor faça repetidamente a mudança da alavanca seletora da transmissão entre as posições R (marcha à ré) e D (condução à frente) com a rotação do motor ainda elevada, além das rodas em movimento, a ação poderá forçar um dos rolamentos da transmissão, provocando sua quebra.

Essa situação poderá provocar a movimentação do veículo estacionado, caso o freio de estacionamento não esteja acionado e, em situações extremas, acarretar a parada do motor durante a condução, ambas levando a risco de colisão.

A Honda recomenda o agendamento do reparo pelo site www.honda.com.br/recall. Outras informações podem ser obtidas no 0800 775-5346, de segunda a sexta, das 8 às 18 horas.

Os CR-V trazidos pela Honda ao Brasil escaparam da convocação. Apenas as versões com motor 2.4 vendidas entre 2007 e 2010 foram convocadas.

Alguns anos do modelo Element da Honda também deverão comparecer, mas só lá fora.


Advogado especializado explica quais os cuidados e que garantias devemos exigir ao comprar carros semi novos ou usados

agosto 2, 2011 1 comentário

Ser um espaço democrático em que usamos a palavra de especialistas é uma das vantagens de ser um blog. Por isso chamamos o Dr. Régis Tarifa para explicar um pouco mais o que devemos fazer no ato de compra de um carro semi novo ou mesmo usado.

Estas dicas e orinetações podem ser muito valiosas na escolha de um bem como um carro, as vezes tão sonhado e esperado.

Esperamos que esta consultoria online jurídica os ajude a realizar o melhor negócio e comprar de forma consciente fazendo a melhor escolha.

Segundo, o Dr. Régis “Freqüentemente, de forma até rotineira, sentimo-nos lesados quando adquirimos um certo produto e/ou serviço. Quase sempre o produto e/ou serviço não corresponde às nossas expectativas, e o que é pior, jamais se igualará àquele que vimos nos anúncios veiculados pela mídia e no caso do mercado automotivo não é diferente.”

Cumpre esclarecer que se a aquisição decorrer de um particular, aplica-se a Lei civil; se decorrer de um fornecedor (quase sempre uma empresa), estaremos diante da lei do consumidor (Lei nº 8.078/90 – Código de Defesa do Consumidor), o qual daremos maior enfoque.

Em ambos os casos, deve sempre prevalecer a boa-fé das partes contratantes e um equilíbrio contratual, de modo que, desconfie de “propostas mágicas”, e diante dessa boa-fé, deve se manter a maior clareza possível, desde as tratativas iniciais até a execução final do negócio e posteriormente no conhecido pós-venda, ou seja, todas as informações do veículo devem ser prestadas de forma clara e correta, por ex. se o veículo já foi batido, se foi adquirido em leilão, se o motor foi refeito, etc., sendo que uma informação ocultada pode causar a anulação do negócio além de gerar uma indenização de outros prejuízos sofridos.

Um cuidado básico que se esquece é a escolha do fornecedor ou vendedor, pois só se deve buscar fornecedores idôneos financeiramente, moralmente, e como saber disso? Uma pesquisa simples no fórum com o nome da empresa, uma referência de outro consumidor, o tempo que a empresa encontra-se no mercado, a forma clara na negociação, entre outros, pode ajudar a definir essa fase inicial de contratação.

Receber as chaves não finaliza o processo de compra de um carro semi novo

Decidida a contratação, passa a análise de toda a documentação do veículo, e que não são poucos, começando pelo Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) que deve estar atualizado em nome do vendedor, se não foi dado em garantia bancária (gravame), comprovantes de pagamentos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do seguro obrigatório (DPVAT), certidão de prontuário (histórico do veículo), certidão de negativa de multa e furto, consultas de multas, etc. Tais documentos podem ser encontrados no website dos DETRANS – Departamento de Trânsito Estadual, mas sempre recomendamos a ajuda de profissionais habilitados, como exemplo, despachantes.
É recomendável que conste no contrato a garantia do veículo, ainda que o fornecedor esteja proibido de buscar desonerar-se de sua responsabilidade por eventuais vícios do veículo pelo prazo mínimo de 90 (noventa) dias, conforme previsto no artigo 26, do Código de Defesa do Consumidor, conhecida como garantia legal (obrigatória).

Mas, pode ocorrer do fornecedor responsabilizar-se pelo veículo por um prazo maior que 90 (noventa) dias, podendo estender para 06 (seis) meses, e em alguns casos 01 (um) ano, conhecida como garantia contratual (não obrigatória), esta deve estar bem especificada no contrato, além de ser considerado no custo-benefício da negociação.

Cuidado com as terminologias de mercado...

Passado o prazo da garantia, e surgindo um vício oculto, ou seja, um problema de difícil constatação que dentro de 90 (noventa) dias não foi possível constatá-lo, por ex., a descoberta de uma adulteração de quilometragem, problemas no motor também são comuns, nesses casos, a partir da constatação do vício oculto tem-se mais 90 dias para reclamar, todavia, a questão irá variar bastante no caso concreto e no campo das provas, cabendo, em regra, ao fornecedor o ônus de provar que não tem responsabilidade!

Por fim, deve-se atentar a expressão “vendas no estado”, que já indica que o veículo não se encontra em perfeitas condições, de modo que, havendo interesse de aquisição nesses casos, deve ser muito bem especificado no contrato, na nota fiscal, ou mesmo no recibo, quais os problemas constantes, além de ter um preço bastante convidativo.

Lembre-se que nem todos os locais de venda disponibilizam carros com qualidade assegurada, como os da foto.

Mas e na pŕatica, quais os cuidados visuais para comprar um carro usado, segundo o consultor e perito André Magalhães?

Se você não entende nada de carro peça ajuda  para um amigo ou conhecido que entenda de mecânica. Examine tudo que possível, principalmente os itens de segurança: freio, amortecedores e pneus.

1. Examine o carro à luz do dia, nunca em locais fechados e escuros, e exija ver o veículo seco (a aparência do carro molhado pode enganar);

2. Teste o amortecedor balançando o carro para baixo, segurando no pará-choque na direção da roda. Se, ao largá-lo, o veículo balançar duas ou mais vezes, o amortecedor está em más condições;

3. Observe ondulações e pequenos amassados na lataria: se houver diferenças nas quinas do capô, é provável que o carro tenha sido batido;

4. Dê pancadinhas com os dedos na lataria para verificar se o barulho é diferente em algum ponto. Isso indica a colocação de massa plástica. Também é possivel fazer um teste com um imã embrulhado em uma flanela. Se, ao passar pela lataria, ele se desprender, é porque existem furos cobertos por massa plástica;

5. Se houver bolhas na pintura, cuidado: é sinal de que há ferrugem. Os locais onde a ferrugem é mais freqüente são os seguintes: junto às borrachas, debaixo das portas, embaixo dos pára-lamas, nas arestas inferiores da carroceria, junto às canaletas e nas bordas das tampas do capô do motor e do bagageiro;

6. Observe se o veículo foi pintado recentemente. Verifique se há diferenças de cor e procure respingos de tinta nos frisos e borrachas. Cuidado com os carros encerados, porque eles podem esconder defeitos na pintura;

7. Confira se as portas e capô fechados se encaixam perfeitamente. O desnível pode indicar que o carro foi batido;

8. Confira o estado dos pneus. Se eles estão lisos (carecas) e não aderem ao chão, prejudicam a freada (breque), o desempenho do veículo e, como conseqüência, trazem riscos à segurança;

9. Desgastes irregulares nos pneus podem indicar problemas com a suspensão, falta de alinhamento ou balanceamento das rodas;

10. Com o carro suspenso, pressione cada roda para dentro e para fora. Se houver folga, isso indica que o rolamento está gasto, devendo ser regulado ou trocado.
Quer saber mais sobre este assunto? Conheça um pouco mais sobre os trabalhos do Advogado REGIS TARIFA. – OAB/SP 238.283. Atua nas áreas do direito civil, de família e empresarial, com escritório em Valinhos localizado na Rua Luiz Spiandorelli Neto, 60, sala 310, JD. Paiquerê.

Tel. (+19) 3327-8196; Website: www.tarifaeserrao.com.br


Como ter o menor preço de seguros para automóveis em sites de comparativos de serviços

julho 20, 2011 2 comentários

A cerca de um mês atrás precisei renovar o seguro dos carros aqui em casa. Bom, sabia que começaria uma correria para ver qual seguradora, ou qual tipo de seguro seria o mais viável, nestes tempos de “fuga da realidade” das empresas em fornecer orçamentos dentro de um bom senso para seguros. Vivemos hoje numa sociedade que só pode estar literalmente enterrando carros roubados, afinal o volume de autos furtados ou sinistrados  no Brasil beira o fim dos tempos, o índice é auto, os preços também.

Sabendo disso já liguei o alerta e tratei de me preparar para realizar algumas cotações. Nada mais normal já que, quando alguém quer economizar ao comprar um serviço, primeiro é necessário fazer uma pesquisa de mercado , verificar os preços e formas de pagamento, para depois fazer a melhor escolha. Porém, durante esse processo de pesquisa, o interessado acaba perdendo tempo e dinheiro visitando e entrando em contato com as empresas que oferecem basicamente o mesmo serviço desejado.

Li a algum tempo que surgira nos Estados Unidos e na Europa , um sistema de crédito universitário para financiamentos que utiliza a ferramenta de captação e comparação online onde as empresas interessadas em atender o perfil do usuário é que entram em contato com eles.

Pesquisando na internet achei um site de comparativo de serviços e orçamentos diretos chamado Cenário Capital. Lendo o famoso quem somos pude ver que o site poderia me oferecer o que eu estava procurando. ,facilitar a busca pelas melhores taxas entre os principais Bancos e Instituições Financeiras, de acordo com o meu perfil.

Fiz o cadastro, preenchi as informações pertinentes e com apenas 5 minutos de utilização, o sistema do site me permitiu algumas  simulações já que a promessa seria a de oferecer as melhores taxas e condições e claro sem custo direto para o usuário final.

Para minha surpresa funcionou de forma fantástica e consegui o meu seguro após receber algumas cotações via e-mail, num valor “decente e honesto”. Confesso que no começo não acreditava muito, mas os caras do site mandaram bem, parabéns….

O legal também do site é que existem outras modalidades de serviços que eles prestam como cotações de financiamentos de veículos, de imóveis, consórcios, planos de saúde, viagens e outros…

Por isso eu recomendo o uso do site Cenário Capital. Quando existem projetos que são bons vale a pena divulgar.

Acesse: www.cenariocapital.com.br

Bomba: 100 mil seminovos foram reprovados em 2010 na inspeção anual de emissões só na cidade de São Paulo.

Que o Homem está acabando com o planeta, isso parece ser um consenso, mas a matéria publicada no site da Automotive Business me deixou ainda mais precoupado, vejam porque:

Dados da Controlar revelaram recentemente que 100 mil seminovos foram reprovados em 2010 na inspeção anual de emissões na cidade de São Paulo. Esses veículos (a maioria automóveis) correspondem a 4% dos modelos inspecionados com até dois anos de fabricação. De acordo com especialistas, a causa básica dessas reprovações na Inspeção Veicular Ambiental é a falta de manutenção. “Quase 70% dos veículos não passam pelas revisões de garantia”, afirma o diretor-executivo da Controlar, Eduardo Rosim, referindo-se às visitas obrigatórias à concessionária, muitas vezes para substituição de óleo, filtros e velas.

“Em regra, os donos de automóveis não trocam esses itens. Nem mesmo o lubrificante eles substituem”, afirma Pedro Luiz Scopino, que leciona na Universidade do Mecânico e há 13 anos utiliza analisadores de gases em sua oficina. “Os motivos de reprovação mais comuns são excesso de emissões de monóxido de carbono e de hidrocarbonetos”, diz Scopino, que também já lecionou no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). “A troca de velas e do filtro de ar muitas vezes resolvem esses dois problemas”, diz.

O gerente de relações institucionais do Cesvi Brasil, Eduardo Santos, concorda com esse ponto de vista: “Seja pelo valor do serviço ou pela falta dessa cultura, o proprietário deixa de fazer manutenção.” O catalisador também pode ser afetado como consequência dessa negligência: “O núcleo cerâmico (responsável pela conversão dos poluentes em gases inofensivos) pode se fundir por falhas de alimentação e ignição, que tornam a mistura ar-combustível muito pobre ou muito rica”, recorda Carlos Eduardo Moreira, gerente de desenvolvimento da Umicore, maior fornecedora do mercado brasileiro de cerâmicas catalíticas. A empresa fornece o núcleo cerâmico para os fabricantes de sistemas de escape.

Normas discrepantes

Sobre o assunto, o diretor de comissões técnicas da SAE, José Loureiro, lembra que as montadoras submetem seus carros a ensaios de emissão e consumo (normas NBR 6601 e 7024) cujas condições são muito diferentes daquelas em que a Controlar inspeciona os carros (NBR 418). “Por conta disso podem ocorrer problemas durante a medição”, conclui Loureiro.

Mais Informações

Se o veículo não passar pela inspeção terá o seu licenciamento bloqueado no sistema, além do bloqueio o motorista irá receber uma multa no valor de R$ 550,00. este modelo obedece aos critérios acima citados desde 2010 e é válido para todos veículos da frota de São Paulo e que devem realizar a inspeção.

Veja abaixo a tabela com as datas para executar a vistoria – válida apenas para a cidade de São Paulo


Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

 

Contran adia mais uma vez obrigatoriedade de chip que poderia reduzir número de furtos e roubos de veículos

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou mais uma vez a obrigatoriedade da instalação do chip antifurto nos veículos novos. O sistema deveria ter sido implantado em agosto 2009, mas foi adiado para o começo de 2010, depois para julho, e ainda para setembro do ano passado, e agora está previsto para vigorar a partir de janeiro do ano que vem.

A partir de 15 de janeiro, 20% da produção de automóveis, caminhões, ônibus e motos deverá vir de fábrica com o dispositivo. Em março, o percentual passa para 40%, em junho para 70% e em agosto, 100% dos veículos devem ser produzidos com o sistema antifurto.

Segundo o Contran, a mudança foi necessária por causa da complexidade da infraestrutura de telecomunicações necessária para operacionalização do sistema. O órgão informou que as novas datas foram definidas em conjunto com as entidades envolvidas na implantação e operação do sistema.

Segundo a resolução, o equipamento antifurto deverá ser dotado de sistema que possibilite o bloqueio e rastreamento do veículo. Será proibido o registro e o licenciamento dos veículos que não tiverem o sistema.

O equipamento antifurto e o sistema de rastreamento deverão ser previamente homologados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que será o órgão responsável pela regulamentação da transmissão de dados.

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

%d blogueiros gostam disto: