Archive

Archive for the ‘Autos e Carros Chineses’ Category

Viaggio é o nome do Sedan da Fiat que poderá ser lançado em breve na China em parceria com a GAC

abril 13, 2012 1 comentário

 

Fiat sedan Viaggio que será produzido na China
A Fiat divulgou esta semana as primeiras imagens de um modelo sedan que poderá ser lançado em breve na China. Seria o primeiro carro que a Fiat vai produzir no país  com a parceira local, a fabricante  GAC.

Ele se chamará Viaggio vai começar a ser produzido em julho na nova fábrica GAC-Fiat em Changsha, e as vendas começam na China no terceiro trimestre.

O lançamento do modelo mostra como a empresa tem visto a importância do mercado Chinês e as possibilidades de expansão da marca que também controla a norte-americana Chrysler. Agora eles correm contra o tempo pois foram as últimas ao aportar num dos mais concorridos mercados mundiais.

Veja mais sobre o Fiat Viaggio no site oficial do Blog ContaGiros

Chery S18 chega em Janeiro, quais serão os atrativos do primeiro compacto Flex Chinês no Brasil?

dezembro 28, 2011 Deixe um comentário

A Chery prepara a chegada do novo modelo S18 Flex. O título de primeiro veículo flex chinês a chegar no Brasil será dele, mas será que foi tarde? Em junho sites publicaram fotos do modelo semi camuflado em formato de fora de estrada, mas sem perder a identidade de um compacto.

Na época o modelo fora flagrado em São José dos Campos (SP), com placas verdes de teste da cidade de Salto (SP), onde fica a sede da marca chinesa no Brasil enquanto a fábrica em Jacareí (SP)não fica pronta. O S18 foi mostrado no Salão do Automóvel 2010, em outubro do ano passado, e deverá chegar às lojas no fim do ano com motor 1.3 de 83 cavalos.

O carro, compacto por fora e com espaço interno interessante por dentro. “O interior demonstra a busca da Chery por uma identidade própria, com direito a ousadias na disposição dos itens do painel de instrumentos e nos botões”, relatou o repórter Alberto Cataldi da revista Auto esporte.

Com o mesmo motor do utilitário esportivo Tiggo, o S18 se mostrou um pouco mais ágil por ser mais leve e como resultado é um compacto que responde bem nas acelerações e perde menos tempo nas retomadas. O que atrapalha a experiência é a falta de estabilidade, resultado direto da distância do solo. Fazer uma curva mais fechada pode não transmite segurança e as irregularidades do solo podem chegam à cabine com força.

Segundo a fã page da Chery no Facebook o modelo deverá ser vendido a partir de R$32.000,00 o que segundo alguns pode espantar um pouco a freguesia, já que um modelo similar como o palio por exemplo , com vidro, trava e ar sai por cerca de R$34.000,00 em duas concessionárias que cotamos no interior de São Paulo.

Segundo a Chery 500 unidades devem começar a ser comercializados nas próximas semanas.

Detalhes do modelo S18

O S18 da Chery, mede 3,6 metros de comprimento e se compararamos a outros modelos do segmento, como por exemplo, o Ford Ka, o modelo é ainda menor. Sua  capacidade para quatro passageiros não deixa a desejar no espaço interno. O S18 virá equipado com um novo motor, um 1.3 de 16 válvulas Flex e sistema de gerenciamento eletrônico de injeção eletrônica desenvolvido pela Delphi.

E para continuar a saga dos veículos chineses completos o modelo terá a sua disposição:  Ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS com EBD, trio elétrico e CD player com MP3, entre outros itens.

O S18 será o primeiro de vários lançamentos da Chery no Brasil para o próximo ano. São esperados também ,  versões com câmbio automático do Tiggo e do Cielo, além do Fulwin, nas carrocerias hatch e sedã.

Veja mais algumas imagens do modelo abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Chinesa Effa Motors lança nova linha Start de picapes e Vans

novembro 21, 2011 3 comentários

A Chinesa Effa Motors apresentou ao mercado uma nova linha de veículos comerciais da Hafei, chamada Start, cujo desenho da carroceria é semelhante àquele já trazido pela concorrente CN Auto, os atuais veículos da Towner.

Seguindo a linha de simplificidade x preço baixo os modelos já estariam disponíveis em toda a rede da Effa, mas todos os modelos anteriores também continuam a venda.


A linha Start inclui picapes de cabine simples (R$ 27 mil) ou dupla (R$ 30,5 mil) e também uma pequena van para sete ocupantes (R$ 31,5 mil). Além das mudanças estéticas, o chassi foi redimensionado. A cabine-dupla teve a capacidade de carga elevada de 750 para 940 quilos (carga mais ocupantes). No caso da van, foi de 570 para 605 quilos.

O motor, porém, permanece o mesmo. É um quatro cilindros 1.0 de apenas 46 cv de potência. Como comparação, o Fiat Mille (o menos potente entre os carros nacionais à venda) tem 66 cv e é flexível.

Ainda sobre a motorização os veículos da linha Start só utilizam combustível a gasolina e por enquanto não há previsão para modelos Flex.

 

Pesquisa aponta que preço e equipamentos disponíveis são vitais na escolha de um veículo pelo mercado consumidor

novembro 1, 2011 Deixe um comentário

Uma avalanche de marcas e modelos tende a tirar o foco do consumidor da marca e apresentar a ele outros benefícios

Temos finalmente no mercado uma espécie de condição igualitária entre os players que disputam a preferência do consumidor de automóveis. A fidelidade a uma determinada marca de automóvel antes, comparada a um casamento, parece que está próxima de um divórcio. Hoje em dia o que mais importa para a maioria dos compradores de veículos zero-quilômetro é o preço e as características do modelo – principalmente a quantidade de diferenciais como direção assistida e ar-condicionado, por exemplo.

Quem afirma isso é a pesquisa  apresentada na semana passada pela agência de promoção de varejo automotivo MSantos.

O levantamento foi feito com 267 consumidores que procuravam veículos novos e seminovos em 18 concessionárias (de nove marcas diferentes) na Grande São Paulo. A pergunta básica foi se a pessoa estava à procura de um veículo da mesma marca que já possuía atualmente e se isso era fundamental em sua decisão de compra, ou se o preço e as características do veículo pesavam mais. Dos entrevistados, 78 % responderam que escolheriam o carro de acordo com o valor e quantidade de equipamentos. Segundo a MSantos, nas pesquisas realizadas em 2007 e 2008 esse porcentual era 62%, em média.

Carros como o J6 da Jac Motors deixam claro para o consumidor que ele pode pagar um pouco menos e ter um pouco mais de conforto, acessórios e algumas regalias. Apesar da marca ser uma entrante no mercado procuram focar no benefício imediato.

A pesquisa constatou que os consumidores com maior idade (83 dos ouvidos têm mais de 50 anos) foram os que indicaram maior fidelidade à marca de seus atuais veículos. Foram entrevistados 193 homens entre 25 e 70 anos e 74 mulheres de 25 a 64 anos.

“Hoje temos no Brasil mais de 50 marcas disponíveis que oferecem mais de mil modelos de veículos nacionais e importados aos consumidores, fazendo com que cada vez mais os compradores se interessem pelo preço e características do carro independentemente de seu fabricante, pois a ideia é de que todos apresentam qualidade parecida”, avalia Ayrton Fontes, economista da MSantos.

Parece que as montadoras Coreanas e Chineses já presentiam isso. Sentiram o cheiro da oportunidade e em breve devem ser privilegiadas pelo novo modelo imposto pelo mercado. Será uma mudança de paradigma ou sinal dos tempos que viram. A infidelidade automotiva deve perdurar até quando? Mas que elas nào se enganem, de que é só chegar e vender… o consumidor está de olho no pós venda também e no custo futuro do automóvel e de revenda que na minha humilde opinião tendem a ser as próximas bolas da vez no campo das exigências. O tempo, senhor da razão nos dirá em breve.

 

Curiosidade – Marca Chinesa, Chana muda de nome para Changan

outubro 25, 2011 Deixe um comentário

Chana Cargo que agora passará a se chamar Changan Cargo

Ela foi uma das primeiras marcas de Carros  Chineses a ter coragem de aportar no Brasil, lá pelos longínquos anos de 2006, durante o Salão do Automóvel 2006. Estamos falando da antiga marca Chana que a partir desta semana não tem mais este nome.  A Districar, importadora de veículos sul-coreanos e chineses anunciou neste domingo a mudança do nome da marca Chana para Changan, os pequenos utilitários da companhia serão comercializados como MiniStar e Star.

O comunicado foi feito neste último domingo, 23, dia guardado para as primeiras entrevistas coletivas do 18º Salão Internacional do Transporte (Fenatran), que ocorre de 24 a 28 de outubro no Anhembi. A Chana foi a primeira linha de veículos chineses de quatro rodas a entrar à venda no Brasil, mas suas vendas nunca foram efetivamente expressivas.

Pelo que vimos no último Salão do Automóvel 2010,ou seja, pelos modelos apresentados, quem sabe a marca não dá a volta por cima e emplaca algum sucesso em breve. Qualidade, pelo menos no visual do estande e na apresentação do produto com certeza eles tem.

Abaixo algumas imagens tiradas do Stand da marca no último Salão do Automóvel ocorrido em 2010, na cidade de São Paulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Carros importados somem de concessionárias após o aumento do IPI

Esta cena será cada vez mais difícil após o aumento do IPI

Quem foi as concessionárias esperando por pechinchas e oportunidades se deu mal nestas duas últimas semanas. A jornalista Milene Rios, do Estadão, registrou nesta última terça-feira, 4, que chegou ao fim o estoque de carros importados em algumas revendas, em razão de uma corrida às compras antes do aumento do IPI. Desde o anúncio da medida que elevou o imposto para carros estrangeiros em 30 pontos porcentuais a maioria das importadoras presentes no País deixou de faturar novos veículos.

A consulta a quinze revendas indicou que Effa, Hyundai, JAC e Kia são as mais afetadas pela falta de produtos. Na Autostar, da zona sul, não há mais Picanto, Cerato e Sportage, restando apenas alguns Soul, e um vendedor disse não saber quando os carros voltarão a ser entregues e a que preço.

O renovado Picanto é um dos veículos mais procurados da Kia e registrou avanço de 33% nas vendas em setembro. Segundo o importador, há 4,2 mil unidades em estoque, que serão comercializados pela tabela antiga.

A jornalista informa que Chery, Effa e JAC ainda têm estoques, mas faltam produtos em revendas BMW e Hyundai. O Veloster, lançado com suporte de expressiva campanha de propaganda, está praticamente esgotado. Foram trazidas 1.600 unidades na primeira etapa. Das importadoras consultadas, apenas a Hyundai pratica tabela com aumento do IPI. A Porsche divulgou na terça-feira, 4, aumento médio de 19% para seus veículos.

Chery consegue manter liminar que permite importadora de trazer carros sem o aumento de IPI

 

Uma boa notícia, pelo menos para a Chinesa Chery e para os consumidores. O governo não conseguiu derrubar a liminar concedida a favor da Venko Motors, importadora da chinesa Chery, que suspende até dezembro a alta de 30 pontos porcentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os automóveis importados de fora do Mercosul e México. Ontem, a juíza Maria Helena Cisne, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, negou o recurso apresentado pela União, segundo informou a assessoria de imprensa do órgão.

A liminar foi concedida no último dia 21, pela Justiça Federal do Espírito Santo. No entendimento do juiz Alexandre Miguel, da 1ª Vara Civil do Estado, a Constituição Federal proíbe a cobrança de tributos “antes de decorridos noventa dias da data de publicação da lei que os instituiu ou aumentou”. Por isso, ele concedeu a liminar suspendendo o aumento por 90 dias. Essa é a base das demais liminares concedidas contra a elevação do IPI e também o argumento central da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) impetrada pelo DEM contra a medida.

A União recorreu da liminar, sustentando que sua manutenção traz risco de grave lesão à economia e às contas públicas, por causa do “altíssimo déficit comercial que tem prejudicado empregos, bem como a indústria nacional que se vê em desvantagem diante das indústrias estrangeiras”. Argumentou também que a abertura de um precedente contra a União poderia “destruir uma política macroeconômica séria e profundamente analisada, executada com lastro na Constituição da República e nas leis que regulamentam a matéria”.

Para a juíza Maria Helena Cisne, porém, não há risco de grave lesão à ordem econômica, porque à medida que se esgotarem os estoques dos modelos importados com o IPI mais baixo, a procura pelos importados vai diminuir, visto que os preços ficarão entre 25% e 28% maiores. Assim ela manteve o entendimento do juiz de primeira instância, com a seguinte argumentação:

“A Administração Pública encontra-se por óbvio submetida às regras constitucionais que delineiam o sistema tributário. Em consequência, caso haja a necessidade da observância do princípio constitucional da anterioridade nonagesimal, para fins de aumento da alíquota, impõe-se evidentemente o respeito ao texto da carta constitucional. Caso contrário é de se reconhecer que haveria lesão à ordem pública, eis que a própria base jurídico-normativa do Estado brasileiro – a Constituição – estaria sendo agredida.”

É impressionante como uma atitude que de fundo tenta apoiar a produção nacional de veículos simplesmente gera um aumento de impostos do nada. Se as autoridades querem proteger o mercado interna que zerem tarifas. Afinal pagamos um dos IPVAs mais caros do mundo e tudo relacionado a carros hoje é tachado de forma exorbitante e sem sentido.

%d blogueiros gostam disto: