Chinesa Pang Da Automobile compra a Holandesa Spyker que agora passa a se chamar Swedish Automobile NV

Mais uma montadora européia agora é de vez Chinesa. Isso mesmo. A Spyker, montadora de superesportivos, anunciou hoje  segunda-feira (23) que passará a se chamar Swedish Automobile NV, assim que aprovada a parceria com o grupo chinês Pang Da Automobile. A decisão foi tomada durante assembleia geral com acionistas da marca de origem holandesa.

Victor Muller, diretor-presidente da Spyker, proprietária da Saab, informou ainda que a nova parceira chinesa efetuou, na última terça-feira (17), um depósito de 30 milhões de euros para ajudar a marca sueca a recolocar sua linha de montagem em Trollhättan (Suécia) novamente em funcionamento. A Saab não monta um veículo desde o fim de março, quando interrompeu a produção por falta de pagamento aos fornecedores.

O executivo também confirmou que a marca chinesa entrou com ação junto à Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) do governo chinês para obtenção das licenças para investimento na Spyker e na Saab.

“Baseado em nossas discussões com Pang Da, estamos confiantes de que Pang Da receberá as aprovações regulamentares necessárias para formalizar o negócio”, disse Muller por meio de um comunicado. “Estou muito ansioso para a criação de uma empresa forte, com Pang Da, inicialmente, na distribuição e, posteriormente, na fabricação de veículos Saab na China”, completou.

CEO da Spyker - Victor Muller

Conheça um pouco da história da Spyker

Pouca gente ( ou quase ninguém no mundo ) sabe que a Spyker foi fundada originalmente em 1898 pelos irmãos Jacobus e Hendrick-Jan Spijker, dois pioneiros da história do automóvel. É uma marca que nunca quis sair de um certo anonimato, mesmo quando nos primeiros anos do século passado esteve na ribalta do vanguardismo tecnológico.

Em 1903, a marca fundada pelos irmãos Spikjer apresentou o 60/80 HP, um modelo que ficou para a história como sendo o primeiro carro do mundo  a ser equipado com um motor de seis cilindros e por ter estreado a utilização de quatro rodas motrizes, soluções que só vieram a ser comprovadas muito tempo depois.

Spyker 60/80 Hp, de 1903 foi o primeiro carro do mundo a ter 6 cilindros

Os Spijker eram verdadeiros visionários. Mas a sua empresa, talvez por estar afastada dos grandes centros  onde o automóvel evoluiu, nunca conseguiu garantir a imagem e o prestígio que se justificavam, tendo chegado mesmo a produzir excelentes motores que foram utilizados pelos primeiros aviões que surgiram durante a I Guerra Mundial e ao longo dos anos 20.

As vendas da Spyker nunca atingiram volumes que garantissem a sobrevivência da marca holandesa. Por isso, em 1925 fechou as portas, mas os holandeses nunca esqueceram a marca Spyker.

A memória perdurou ao longo de 75 anos. Em 2000, quando reapareceu no Salão de Birmingham, os holandeses ainda reconheciam o nome, apesar de o resto da Europa ter ficado surpreendido por um modelo que fazia a diferença ao nível do design.

A Spyker mostrou o C8 Spyder no certame britânico, um roadster original, equipado com um motor V8 de 4,2 litros da Audi montado em posição central, que veio a ser premiado pelo Institute of Vehicle Engineers Design. No ano seguinte, surgiu a versão coupé – o Laviollete. ( Ver fotos abaixo)



Aposta na competição
Para garantir a afirmação da marca e conseguir o reconhecimento dos seus modelos, a Spyker desenvolveu o Double 12 R, uma versão de competição que participou nas 24 Horas de Le Mans em 2002 e 2003. O trabalho desenvolvido em colaboração com a Mader permitiu realizar o Spyker C8 Double 12 S, um desportivo de performances ainda mais elevadas, destinado a uma utilização em estrada.


Com estes modelos, a Spyker passou a contar com uma gama. A marca estava lançada. Em 2004 passou a ser cotada na bolsa de Amesterdão, e no ano seguinte garantiu a homologação do C8 nos Estados Unidos, o que lhe abriu um novo e importante mercado.

A conquista de um mercado tão importante permitiu dilatar a oferta de uma marca que centrava as suas vendas no C8 com um motor 4.2 V8, com uma potência de 405 cv e 480 Nm na versão atmosférica, ou o biturbo de 456 cv e 530 Nm. Por isso, no Salão de Genebra 2005 foi apresentado um novo modelo, o C12 La Turbie, equipado com um motor Audi W12 de 6.0 litros, com 405 cv na sua versão atmosférica e 630 cv na opção sobrealimentada. Qualquer das versões conta com caixas de velocidades Gertrag com comando manual ou sequencial. – Ver foto abaixo

Construção artesanal
Uma produção muito reduzida permite que cada Spyker seja um modelo diferente e exclusivo. Na origem está um châssis em alumínio de peso reduzido e uma grande rigidez estrutural, um metal que também é utilizado em vários painéis da carroçaria, produzidos na Alemanha pela Karmann e em Inglaterra pela Coventry Prototype Panels.

Lançada o ano passado a nova safra do C8 chamada agora de Aileron

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: