Conheça um pouco da história da Mercedes Benz que comemora este ano 125 anos

Não parece, mas os primeiros carros com motores a combustão interna surgiram há apenas 125 anos – meu tataravô provavelmente não viu nem ouviu um veículo desses em movimento.

O automóvel nasceu na Alemanha, precisamente em 29 de janeiro de 1886. Nesta data, o engenheiro local Karl Friedrich Benz registrou seu triciclo motorizado num escritório de patentes na capital Berlim. ( veja foto acima)  O veículo, que parecia a boleia de uma carruagem, usava um motor a gasolina de apenas um cilindro, com menos de 1 cv de potência e capaz de levar o modelo à máxima de 16 km/h.

No mesmo ano (1886), uma dupla de engenheiros que cruzaria o destino de Carl Benz – isso mesmo, a grafia do primeiro nome trocou o “K” pelo “C” – criou a primeira motocicleta da história da raça humana. A invenção de Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach foi uma espécie de laboratório para a criação seguinte, que mudou de vez a história do automóvel. Em 1889, os amigos (e sócios) apresentaram o primeiro carro de passeio sobre quatro rodas. O modelo ainda exibia a carroceria inspirada nas carruagens, assim como o triciclo de Carl Benz, que se tornaria o primeiro automóvel de produção, montado entre 1888 e 1893 pela Benz & Cia – fundada em 1871.

Nos anos seguintes, Carl aprimorou o pequeno motor de um litro do triciclo (Benz Patent-Motorwagen). O novo modelo, chamado de Victoria, oferecia 3 cv de potência e atingia máxima de quase 18 km/h. Enquanto isso, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach se especializavam na produção de motores a gasolina e, em 1890, criaram a DMG (Daimler-Motoren-Gesellschaft). Curiosamente, Carl Benz não conhecia a dupla Daimler e Maybach. No início, a DMG produzia apenas motores. Já a Benz & Cia via o volume de pedidos de carros crescer ano após ano. Até que, em 1894, Carl apresentou seu modelo de quatro rodas, considerado o primeiro automóvel de produção em massa: o Velo.

Entre 1894 e 1901, a Benz & Cia produziu 1.200 unidades do Benz Velo – que, no ano do seu lançamento, participou do rali Paris-Rouen, prova considerada a primeira corrida de carros da história, realizada em 22 de julho de 1894. Enquanto isso, Gottlieb e Wilhelm elaboravam seu veículo de produção, lançado em fevereiro de 1900: o Mercedes 35 hp. O primeiro nome foi um pedido de Emil Jellinek, magnata alemão que prometeu comprar 36 unidades se o DMG fosse chamado pelo nome de sua filha, Mercedes Jellinek. Dito e feito. Emil Jellinek praticamente financiou o início da produção do Mercedes 35 hp, considerado o primeiro carro de concepção moderna (com chassi).

O destino, no entanto, mudaria o rumo da DMG naquele mesmo ano (1900), com a morte de Gotttlieb Daimler. Sem seu parceiro, Wilhelm Maybach assumiu como diretor da montadora, mas deixou o cargo em 1907. Dois anos depois (1909), o Wilhelm e seu filho Karl fundaram a Maybach-Motorenbau GmbH, uma fábrica de motores para dirigíveis (Zeppelin). Nesse período, Maybach e Carl Benz não eram íntimos, mas a Benz & Cia e a DMG eram arquirrivais – nada menos que as duas maiores fabricantes de carros da Alemanha. As empresas também participavam ativamente das competições de automobilismo, já vistas na época como vitrine para os novos motores.

A essa altura, Carl Benz já estava aposentado da Benz & Cia (desde 1903). Mas seu nome constava no corpo de administradores da empresa. E lá permaneceu após a fusão com a DMG, em 1924. Dessa união se originou a Daimler-Benz, criada por força do destino: com a Alemanha devastada pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as fábricas assinaram um acordo de cooperação para estimular a economia do País. Assim, em 1926, surgia a Mercedes-Benz. A estrela de três pontas, até hoje símbolo da marca, foi desenhada por Gottlieb Daimler – para os carros da DMG. E o anel com a coroa de folhas veio do escudo criado por Carl Benz, para os carros da Benz & Cia.

O acordo que criou a Daimler-Benz AG (o mesmo que SA ou Sociedade Anônima) exigia a união das empresas até o ano de 2000. Mas antes disso, em 1998, o grupo alemão comprou a norte-americana Chrysler – juntamente com as divisões Dodge e Jeep –, formando a Daimler Chrysler AG. A separação veio em 2007. Após sucessivas quedas nas vendas, a Daimler vendeu a Chrysler e passou a se chamar apenas Daimler AG, preservando a identidade das marcas. Atualmente, o conglomerado reúne divisões de automóveis e veículos comerciais leves e pesados. Entre os automóveis estão as marcas Mercedes-Benz, Smart e a luxuosa (e nostálgica) Maybach.

Nesses 125 anos de existência, a Mercedes-Benz acumulou mais de 80 mil pedidos de registro de patentes. Diversos modelos da fábrica, em diferentes épocas, apresentaram alguma revolução na indústria. Em 1898, por exemplo, a DMG lançava o Daimler 8 hp Phaeton, primeiro carro equipado com motor de quatro cilindros. Já em 1936, após a fusão das fábricas, foi apresentado o Mercedes-Benz 260 D, primeiro automóvel movido por um motor a diesel. E em 1954, surgia o lendário esportivo 300 SL, chamado de “Gullwing” (“Asa de Gaivota”), em referência às portas que se abriam para cima. O esportivo, considerado o mais veloz de sua época, foi o primeiro a ter um motor a gasolina de quatro cilindros com sistema injeção direta de combustível.

Mercedes F800 Style - o futuro próximo da Mercedes

Siga o Blog Contagiros no:

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: