Especial Carroll Shelby e o GT500

Semana passada publicamos um post sobre a possibilidade do fim da marca Shelby. Como homenagem ao criador selecionamos algumas informações e vídeos sobre a história de uma das maiores lendas vivas do mercado automobilístico.

Carroll Shelby foi um piloto de destaque na década de 50, mas foi a partir dos anos 60 que seu nome se tornou um mito. Em 1959, após se afastar das corridas por motivos de saúde (ele tinha sérios problemas de coração desde a infância), Shelby montou uma escola de alta performance para pilotos e também a Shelby-American Company, preparadora de motores e carros esportivos.

Shelby criou no início dos anos 60 o Ford Cobra, carro de corrida contruído a partir do AC Ace inglês, mas com motor V8 americano ao invés de um obsoleto V6 inglês. Henry Ford II adatou o carro sob a insígnia da Ford com o nome de AC Cobra, nome com o qual o carro foi lançado no mercado americano. Rapidamente o colocou nas pistas para ser um caça-corvette, então o esportivo americano de maior destaque. A estratégia deu certo, lançando à fama o agora preparador Carroll Shelby.

Na Ford, Shelby trabalhou diretamente com Lee Iacocca, ajudando a lançar o Ford GT 40, um carro americano feito para competir nas corridas de Gran-Turismo européias e vencer as dominantes Ferrari. Deu tão certo que a Ford venceu por 4 anos seguidos, de 1966 a 1969. Mais uma vez a mão de Shelby ajudou a levar a Ford à glória.

Pouco antes do fantástico projeto do Ford GT 40, Lee Iacocca ajudou a Ford a criar um verdadeiro ícone americano, um legítimo Muscle Car para marcar o fim da era dos automóveis arrendondados e altos e marcar uma era de carros retilíneos e potentes. Este carro era o Mustang.

Irmão mais novo do Ford Cougar, um carrão da Ford na época, o Mustang foi projetado para ser um carro “pequeno” (para os padrões da época), esportivo e barato, que a classe média americana pudesse comprar em larga escala. O preço do Mustang no lançamento, em 22 de abril de 1964, era de cerca de US$ 2.400, bastante competitivo.

Para ajudar na promoção do seu modelo popular de carro esportivo, a Ford convocou adivinha quem? Sim, o senhor das pistas, Mr. Carroll Shelby!

Shelby desenvolveu primeiramente o Mustang GT 350, uma versão apimentada do Mustang Fastback V8 289 (de 4.7 litros) que competia na Stock Car. A versão GT 350 ganhou um pouco mais de espaço depois, quando o motor V8 foi adaptado para 302 polegadas cúbicas (ou 4.9 litros, o mesmo motor do nosso Maverick V8 GT).

Para poder competir, o modelo deveria ter um mínimo de unidades produzidas em série, em 1966 por exemplo foram apenas 2.378 unidades produzidas. Estas versões hoje são raríssimas e cotadas com altos preços. Muitas foram destruídas ao longo dos anos em batidas, capotagens, acidentes, corridas de dragsters e outros infortúnios.

Os poucos modelos Shelby originais valem entre US$ 150.000 e 500.000, podendo chegar a valores maiores em alguns casos. Shelby fez para si mesmo 4 unidades conversíveis que devem valer milhões atualmente. Algumas estão em museus e coleções altamente restritas.

Depois veio o Mustang GT 500, criado à partir do novo motor V8 da Ford, o 390 (de 6.4 litros), lançado em 1968, já na segunda geração do Mustang. Este foi mais um modelo de Mustang de grande sucesso.

Em fevereiro de 1968, uma versão especial do GT 500 foi lançada, com um motor maior: o V8 428 Cobra Jet (um big block de 7.0 litros!). Esta versão foi chamada de GT 500 KR. KR é a sigla de King of the Road, ou O Rei da Estrada.

A história de Carroll Shelby com a Ford não acabou aí, mas esta é até hoje a versão mais aclamada do Mustang GT 500. Anos depois, Lee Iacocca viria a se tornar presidente da Chrysler, levando o amigo Carroll Shelby para preparar seus carros esportivos. Nos anos 90 a Ford ressuscitou o Mustang e convocou Shelby para apimentar novamente seus modelos.

Um dos modelos revividos à plenitude foi o Mustang Shelby GT 500H. O H é de Hertz, uma locadora de carros famosa nos Estados Unidos e que nos anos 60 tinha modelos exclusivos do GT 350 para locação. O GT 350 Hertz original era assim:

Estes modelos costumavam ser locados às sextas-feiras e devolvidos na segunda, com marcas de adesivos nas portas e pneus carecas. Pilotos amadores adoravam usá-los para disputas de corridas amadoras nos finais de semana. Veja só o comercial de lançamento do novo modelo:

Todas as últimas versões do Mustang versão do GT 500, inclusive esta, uma das mais desejadas:

Agora em 2010, saiu uma versão do novo Mustang GT 500KR, um brinquedo de gente grande capaz de deixar qualquer marmanjo apaixonado:

========================================

Saiba mais sobre a Ford, Shelby, GT40 e os motores Ford:

http://en.wikipedia.org/wiki/Carroll_Shelby

http://en.wikipedia.org/wiki/Ford_Mustang

http://en.wikipedia.org/wiki/GT40

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Ford_engines

Os números dos motores correspondem à cilindrada cúbica em polegadas, veja abaixo as correspondências em litros:

289 cubic inches (4.7 L)
302 cubic inches (4.9 L)
351 cubic inches (5.8 L)
390 cubic inches (6.4 L)
428 cubic inches (7.0 L)

Essa e outras matérias você pode seguir pelo twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: